20081215
6 Pensadores

QUEBRANDO AS REGRAS - PARTE I

segunda-feira, dezembro 15, 2008

Hoje o psicólogo acordou de corpo dócil, regrado e pensando nas regras! Quando Adão herdou o Éden havia apenas uma regra: “de toda árvore do jardim comerás livremente, mas da árvore do conhecimento do bem e do mal não comerás; porque, no dia em que dela comeres, certamente morrerás”. O recém-criado Adão sabia que para a transgressão dessa regra existia uma punição, mas as oportunidades apresentadas pela serpente pareciam mais sedutoras que sua própria vida. Adão passou por cima da regra e pagou um preço por seu oportunismo egoísta, pois já possuía o Éden, mas queria mais!

Hoje, em nossa sociedade “modelada”, as milhares de regras, tanto escritas quanto consensuais, nos abordam levando-nos a um tipo de comportamento socialmente desejado. Tudo bem, até Foucault achava que disciplina não era de um todo ruim! Contudo, diante da sensação de não ser punido, em nossa Fortaleza das transgressões, os sujeitos prezam pelo comportamento individualmente desejado: faço o que quero e para o inferno os outros! Há uns dois meses, houve um acidente no início da Av. Antônio Sales. O perito do DETRAN chegou, observou a posição dos veículos, ouviu a versão de cada condutor e devolveu com a seguinte pergunta: - “vocês sabem para que serve a sinaleira, o pisca do carro?”. Diante das faces duvidosas, ele mesmo respondeu: - “é só para reprovar no teste de rua do DETRAN. Sim, porque ninguém atende à sinaleira, aí quem ligou o pisca, ou para direita, ou para esquerda, muda de faixa, o cara do lado não atende o pedido e acontece a interceptação de trajetória, um bate no outro”.
Por esses dias o psicólogo e a jornalista foram ao faraônico Iguatemi. Entraram num Mega Super Extra Mercantil que em seus comerciais repete duas vezes que é o mais barato, que é para o comprador esquecer que esse é o mais caro. Bem, a jornalista prestou atenção numa fila enorme que se direcionava ao banheiro feminino dessa loja. Aproveitando para ir lavar as mãos – na verdade, sua curiosidade jornalística supera qualquer coisa - ela foi saber a causa de tamanho congestionamento fisiológico. Quem sabe teria até senha para ir ao banheiro? Chegando lá nossa repórter viu que, apesar do mercantil querer ser grandioso, o seu banheiro era minúsculo mesmo! De repente, neste palco, surge uma cena inusitada, como um furo de reportagem!

Uma dondoca de nariz empinado trazia sua filhinha para dar um “alívio”, porém, diante da fila, não querendo esperar sua vez, passou na frente de todos, tirou as calças da menina, sentou a criança na pia de lavar mãos e chuáááá! Botou a criança para fazer “pipi” na pia de lavar mãos! Depois, como se não bastasse, tomou o papel de enxugar mãos, tirou o excesso da menina, fez uma bolinha de papel e, apelando para o seu lado Hortência de ser, joga em direção ao cesto de lixo, errando claro e deixando o papel no chão. Tudo isso às vistas dos “filantes” e da expectativa de uma funcionária da limpeza que, ao ver a burguesa sair, logo desabafou: - “quer ser tão chique e faz uma coisa dessas. Mal educada... o pior é que a gente não pode nem dizer nada, que corre o risco até de perder o emprego”. A dondoca poderia ter explicado que a menininha estava apertada, ter pedido licença... mas, não!

Mas, não basta burlar as regras formais, o povo tem que transgredir também as
consensuais, os valores! Ah, mas transgredir já seria natural do homem e uma vez o Dr. Freud pensou no transgressor escondido em cada alma humana, já que, “inocente” era aquele que ainda não havia sido pego em flagrante. O psicólogo se lembrou do Professor de Escolar que falava num tal Jean Piaget, biólogo, que muitos pensavam que era psicólogo... ele dizia em seu livro “ O Juízo Moral na Criança” que regrar-se é um problema que vem do berço. Em seus primeiros passos aqui na Terra, a criança segue a regra porque foi o adulto que disse, os grandalhões sabem tudo! Ela pensa que a autoridade vem do adulto e, como ela quer ser aceita pelos marmanjos, tem que ser agradável - mas ela quer mesmo é enfiar o dedo na tomada e urinar no tapete persa!

Nesse período o “comedorzinho de rapadura” vai achar que a punição é do tamanho do estrago que ele fez... “olho por olho”. O tempo vai passar e o menininho vai começar a entender que cooperar é bom e ajuda na sobrevivência. Então, com a chegada do raciocínio lógico e a noção de reversibilidade, se descobre que a regra possui construção, não é nada superior, como diziam os adultos e ainda pode ser mudada. Aí que vêm os infindáveis “mas, por que disso?”, “por que daquilo?”, que irão deixar os pais bem calminhos. Mas... se os pais, primeiros seres sociáveis conhecidos pela criança, responsáveis por sua “sustentabilidade” até os 18 aninhos, não ensinarem que respeitar leis e ter bons modos também ajuda a viver bem, quem as ensinará?

6 Pensadores:

Jornalista Azarado disse...

Que dondoca cretina! Que horror! Ela tinha é que ser multada.. E sabe, a maioria das pessoas não respeita regras e muito menos o ser humano... Ter adesivos marcando lugares reservados é um absurdo.. Isso deveria ser educação, isso deveria ser natural... Ao ver um idoso, uma grávida, deveriamos nos levantar... Mas o humano é tão egoísta que só o faz se está num lugar reservado e olhe lá...

Será que tem solução?? Espero que sim!

abços!

Su disse...

Que horror!!!
Essa mulher é muito mal educada!!! Puta que Pariu!! Será que ela não sabe que pia é para lavar as mãos e sanitário para fazer outras coisitas?!
Hoje em dias as pessoas perderam o senso do ridículo. Crianças e jovem ficam sentados e idosos ficam em pé. JOvens não enfretam fila, enquanto aquelas pessoas que precisam ser respeitadas aguardam pacientemente. E eu fico aqui pensando, onde vamos parar?!

Espero que tuuudo isso ainda tenha solução!!!!

Beijos e abraços queridos

Alex disse...

o ser humano peca pela falta de alteridade por puro egoísmo!

Aislan Nogueira disse...

Ninguém merece essas dondocas... adorei o texto.... muito bom mesmo... Sucesso!

Du disse...

Procuremos amar mais, fazer mais, acreditar mais, sonhar mais, viver mais; reclamar menos, lamentar menos, julgar menos, criticar menos…

Que isso tudo sirva, não apenas para o dia de Natal, mas para todos os dias do ano.
Quando, mais do que uma lembrança, a “Boa Nova” deve ser uma vivência cotidiana.

Um fraterno desejar: felicidade, paz, prosperidade e amor.

Grande beijo pra vocês, feliz Natal! \o/

Renato (HappyBlue) disse...

Meus Amigos Pensadores,
Marcia e Marcos,

Feliz Natal para você e toda a sua família! Que este Ano Novo que se aproxima chegue para todos nós trazendo muitas alegrias! Sucesso, Amor, Saúde e Paz! Obrigado pela sua amizade! Luz! Renato (HappyBlue)

ps1. Deixei presente para você no Quiosque Azul no link abaixo:

http://quiosqueazul.blogspot.com/2008/12/quiosque-azul-awards-2008.html

Também deixei uma mensagem em uma árvore de letras e uma lembrança de Natal aqui:

http://quiosqueazul.blogspot.com/2008/12/feliz-natal-2008.html

Torço para que goste e fique feliz!

ps2. Amanhã começam as minhas férias. Sempre que possível dou uma "escapada na inter” para matar saudades. Volto com a "corda toda" por volta do dia "10 de Janeiro”. Deixei alguns posts programados. O Quiosque Azul não vai "parar", ok? Mais Felicidades! Mais Luz! Mais Amor! Deus os abençoe!

 
Toggle Footer
Top