20081020
7 Pensadores

O ABC da violência

segunda-feira, outubro 20, 2008

Domingo triste. O psicólogo acordou depressivo. Não aquela depressão orgânica causada pelo baixo nível do neurotransmissor Serotonina e tratada com inibidores de recaptação da mesma, a fluoxetina, mais conhecida como “Prozac”. Aliás, não seria bem uma depressão, mas um luto freudiano, aquele alimentado por uma perda que vai desde um ente querido a um propósito ou liberdade. Às 23:30h, do dia 18 de outubro de 2008, morre a menina Eloá. Mais uma vítima da violência alimentada pelo egoísmo humano que impera desde a fundação do mundo! O livro mosaico de Gênesis fala de um Caim irado e invejoso, com uma “fome” de matar seu próprio irmão Abel, pois o seu egoísmo não consentia que a oferta dele fosse mais aceita que a sua. O conselho divino veio de pronto: “se procederes bem, não é certo que serás aceito? Se, todavia, procederes mal, eis que o pecado jaz à porta; o seu desejo será contra ti, mas a ti cumpre dominá-lo”.

A intolerância da Noite de São Bartolomeu, o narcisismo do Nazismo, a compulsão da Chacina da Candelária, a impulsão do Caso Isabella Nardoni. O inquieto pensador não parava de elencar os inúmeros casos em que a agressividade humana transpassava os ditames da lógica e da ética para destruir os da própria espécie. Conflitos religiosos, políticos e econômicos surgiram desde a “des-construção” das nações até a relação mais íntima entre os moradores de um bairro fortalezense. A violência exacerbada sempre acompanhou nossa história! Logo, o Homo sapiens sapiens não é tão sapiens assim e deveria ser rebaixado a categoria de Homo equus asinus! O pior é que o homem sempre quer justificar sua fome de matar defendendo uma ideologia, que já é perversa em seu conteúdo, travestida de um romantismo barato e vazio de qualquer valor ao outro! Quantos perversos com cara de bom namorado passeiam pelas ruas intocáveis, irreconhecíveis?

A agressividade voltada para alguém a quem dirigimos nossas pulsões de morte é coisa antiga.
Aquele bebê que suga o leite da mãe ao mesmo tempo em que morde o seio já revela que nossos conflitos são bem primitivos. O lactente reclama o amor da mãe, porém, ele a castiga se ela não continua a lhe propiciar prazer. Para Freud, mais tarde, a criança teria um desejo inconsciente de posse pela mãe, enquanto deveria se livrar do pai. Mas, alguém tem que mostrar p’ra esse menino que ele não pode ter sempre o que quer e resolver logo esse desejo de posse da mãe conscientizando-o de que ele tem seu papel diferenciado dessa mãe dentro da cultura. Se não, ao invés de controlar seus impulsos, os deixa explícitos, a “céu aberto” e para esconder sua insegurança vai agredir os outros! O homem quer o prazer a qualquer custo e, se não houver nada que lhe impeça, como um valor ou princípio, será sempre o que ele quer, como quer, quando quer!

E a televisão apresentava um seqüestrador! Não um louco como muitos queriam defender, ele estava bem consciente da realidade, não tinha mania de perseguição e nem rasgava dinheiro. Havia ali um indivíduo sádico, egoísta, que defendia sempre os seus interesses e não estava nem aí para a conservação da vida, a não ser a sua! Talvez perverso, porém louco nem tanto. Parecia mais aquela criança voltada para seu mundo que alucinava pelo amor da mãe boa – representada por Eloá – ao mesmo tempo em que se apoderava dela e a castigava. Demonstrava uma dependência fetichista, já que acusava a vítima de ter tirado uma parte dele com o rompimento da relação. Falava em um diabinho que mandava fazer besteira e um anjinho que mandava ele se conter...
Eros e Tânatos em contínuo conflito! Se o sujeito não sabia levar não, nem sabia elaborar uma perda, era um fixado nas com-pulsões destruidoras das fases oral e anal ou num Édipo mal resolvido, ora, ninguém deveria pagar por isso!

O amor nada tem a ver com desejo de posse! Em nossa sociedade coisificada, as pessoas incapazes de resolver suas questões sexuais e desenvolver um ego saudável, tendem a vestir uma roupa de donos do poder que podem se apoderar de outras pessoas que se tornam reféns dessa podridão mental! Não aceitam o diferente, a alteridade, já que todos deveriam ser inferiores a ele e que as pessoas seriam apenas objetos de sua satisfação! Amor... até o pessimista Schopenhauer acreditava no amor! Mas, ele tinha razão numa coisa: o homem é o causador de seu próprio sofrimento e da desgraça dos outros! A dor seria o castigo de sua prepotência e esta seria tão presente em sua vida quanto aquela! E no espelho havia o semblante de um pensador indignado, enquanto relembrava um dito de Fritz Pearls, fundador da Gestalt-Terapia: “Eu sou eu e você é você. Eu faço minhas coisas e você faz as suas. Não estou neste mundo para viver de acordo com suas expectativas e nem você está neste mundo para atender às minhas. Eu sou eu e você é você”. Compreender o lugar do outro é presenteá-lo com um máximo de respeito! Domingo de luto por Eloá e por todas as vítimas desses perversos personagens!

7 Pensadores:

vida cotidiana disse...

Você disse tudo.
A população fica sem entender tamanha violência, e se depara com outro caso de falta de amor ao próximo.
E a vida continua.... será?

Su disse...

É meu amigo,
cada dia que passa somos 'obrigados' a encarar a violência e a tragédia de frente, e o que os nossos líderes fazem por isso?!! Nada!! Ficamos sim depressivos com tamanha brutalidade, tamanha guerra! A cada dia que passa vivemos numa constante guerra, mas não aquelas de armaas pesadas, bombas e caminhões de guerra, não! Vivemos uma guerra dentro de nossos corações, pessoas que matam e sequestram por amoor.
Um rapaz q tinha a vida inteira pela frente, um mundo de sonhos, estraga todo o seu futuro pq um relaciomento chegou ao fim, uma pessoa que não soube lhe dá com o turbilhão de sentimentos que nos segue a cada dia. Não só acabou com a própria vida, mas pos fim na vida de uma adolescente de 15 anos, a qual dizia amar.
Amoor?! Que amor é esse que mata, que reprime? Isso é ódio, rescentimento, ciúmes...
O amor é puro e honesto, é livre... Deixa seguir o curso certo... Infelizmente todo o desfecho dessa história teve o pior fim, e a vida não pode continuar assim, mas infelizmente são poucos que fazem as mudanças valer a pena!!!
Beijão, meus amigos!!!!

Êita, um comentário que foi quase um post!!!!
beijão

Brisa disse...

Que triste não?! Realmente é deprimente tudo isso que acontece ao nosso redor!
Beijooos

Jornalista Azarado disse...

Pensadores, essa oração da Gestalt tenho no meu perfil original do orkut...

E olha, o que aconteceu no ABC foi, como vcs falaram, um ato de egoísmo, não de amor, mas de descontrole emocional, alguém que não sabe dvidir, quer tudo para ele. E o amor não é assim, quem ama respeita os espaços e decisões do parceiro, mesmo que seja contrário ao próprio pensamento.

Infelizmente uma criança paga pela fúria egoísta de um ser descontrolado, possessivo e, sim, extremamente perigoso para a sociedade.

Abços companheiros!

Quase Trinta disse...

Li muitos blogs falando sobre esse assunto e só o seu e o outro tratou de uma maneira q do meu ponto de vista é correto.. o q não é amor e o que é
Esse é o outro que li e gostei, se tiver tempo aparece lá
http://alessandramauroprado.blogspot.com/ o post é o com o título de where is the love?

AriFilho disse...

E enquanto você listava os casos passados de irraconalidade, eu ficava pensando 'qual será o proximo fato que vai nos chocar, heim...' afinal, "Quantos perversos com cara de bom namorado passeiam pelas ruas intocáveis, irreconhecíveis?"
Muito bons teus textos!

disse...

Olá meus queridos!

Sabe tive muita vontade de postar algo a respeito, mas não me deu coragem, fiquei muito abalada com os acontecimentos, aliás estou abalda com as coisas que andam a acontecer em nosso mundo. As pessoas estão tão vazias de tudo, principalmente do amor de Deus, parece bobagem falar de Deus, mas penso que se os seres humanos se voltassem mais para o ser maior que nos criou coisas dessas não aconteceriam.
Alguma coisas se faz necessário fazer do jeito que vai indo não tá dando pra suportar. As famílias aos poucos estão se dizimando, para mim é o começo do Apocalipse. Pareça comversa de beata não é mesmo, mas é só prestar a tenção em seu próprio texto e você verá.
Grandes beijos e um bom fim de semana a vocês e domingo estarei de luto.
Só lembrando que domingo é o aniversário da Du do Moça do Sonho, eu vou fazer um bolinho é só pegar um pedaçinho lá em casa e irmos comemorar bem juntinho a ela!

 
Toggle Footer
Top